A mulher grávida pode dirigir? Mantenha-se segura

A mulher grávida pode dirigir? Mantenha-se segura

A mulher grávida pode dirigir?

Uma dúvida comum entre as gestantes é saber se a mulher grávida pode dirigir.

Se este for o seu caso, leia com atenção este artigo, pois, a segurança da mulher grávida no trânsito é fundamental.

A mulher grávida pode dirigir sim! Porém, cabe a cada paciente avaliar com seu médico os riscos e cuidados ao dirigir. A seguir deixo algumas informações importantes.

Assim como para qualquer motorista ou passageiro, o cinto de segurança é indispensável para a saúde da mamãe e do bebê.

Com a barriga já crescida, você deve obrigatoriamente utilizar o cinto de três pontas abaixo da barriga, ajustando para não se machucar.

Você deve evitar dirigir nos últimos meses de gestação, para que a ansiedade e o trânsito não a deixem desconfortável.

Se a barriga estiver muito grande, diante de qualquer freada, há risco de que ela se choque com o volante. Por isso, se o seu automóvel possuir volante regulável, coloque-o de modo que fique distante da sua barriga.

Não é recomendado utilizar uma almofada atrás das costas, para aliviar o desconforto da coluna, pois, aumenta a aproximação do corpo em relação à direção.

As maiores causas dos acidentes envolvendo gestantes são enjoo, náusea e distração, que contribuem para que as mulheres percam o controle do veículo.

Para evitar o risco de se acidentar, somente saia de carro se estiver se sentindo disposta.

Os enjoos não costumam ser repentinos, portanto, se você já estiver com mal-estar antes de sair de casa, melhor ficar em repouso, se recuperando.

A mesma regra vale para quem sente tonturas ou desmaia com frequência na gestação: o melhor, nesses casos, é evitar dirigir.

Se você teve algum episódio recente de sangramento, é contraindicado conduzir o veículo.

Todos esses sintomas contribuem para que ocorra distração e não foque a atenção devida no trânsito.

Evite também fazer trajetos longos.

Caso esteja há quatro horas dentro do carro, faça uma parada em um local seguro e saia do automóvel para esticar as pernas. O inchaço, principalmente na fase final da gravidez, dificulta a agilidade da mulher. Caminhe, beba líquido, descanse e retome a rota.

E se sentir alguma contração enquanto estiver dirigindo sozinha? Antes que isso aconteça, já tenha em mente quais serão suas atitudes em caso de emergência. Deixe sempre os números de telefone de familiares e de seu obstetra ao seu alcance. No momento da dor, encoste o carro em um local seguro e chame um táxi. Nada de dirigir até o hospital! Se as estratégias já estiverem pré-planejadas, você vai saber como agir no momento de tensão.

Durante a gravidez, a mulher grávida pode dirigir, porém deve observar com atenção todos esses detalhes.

Depois do nascimento do bebê, em geral, são necessários de 7 a 10 dias de espera após parto normal e cerca de 14 dias, em casos de cesárea. A prioridade deve ser sempre sua segurança e a do bebê, combinado?

Com o nascimento da criança, a utilização do bebê conforto torna-se obrigatória.

O CONTRAN – Conselho Nacional de Trânsito transformou em lei o uso da cadeira para auto e bebê conforto para crianças com até sete anos e meio de idade. A lei entrou em vigor no começo de 2010, determinando uma multa, perda de sete pontos na carteira e até apreensão do veículo para quem for flagrado sem a cadeirinha.

Confira os tipos de equipamento para cada idade da criança:

  • Bebê Conforto – Grupo 0+ (de 0 a 12 meses): até aproximadamente 12 meses de idade, ou até que tenham alcançado altura e peso máximos determinados pelo fabricante do dispositivo e segurança. O bebê conforto deve ser instalado no banco traseiro, de costas para o motorista ou carona, pois somente assim o bebê fica protegido de ferimentos na coluna cervical em caso de colisão ou freadas. O equipamento deve estar preso pelo cinto de segurança do veículo e o bebê deverá estar preso ao cinto do equipamento. Para maior praticidade, existem bases que permanecem instaladas no veículo, facilitando o encaixe e o travamento do bebê conforto na mesma. Outro cuidado importante é nunca reclinar o bebê conforto mais que 45 graus;

 

  • Cadeira para Auto – Grupo I (de 13 a 32 meses): dos 13 meses, ou até que aproximadamente tenham alcançado altura e peso máximos determinados pelo fabricante do produto, as crianças serão acomodas na cadeira para auto. O dispositivo de segurança deverá estar voltado para frente, preso pelo cinto de segurança do veículo e a criança deverá ficar presa no cinto de segurança da cadeirinha;

 

  • Assento de Elevação – Grupo II e III (de 33 a 90 meses): dos 33 meses, aproximadamente, até 90 meses, deverá ser usado um assento de elevação (booster) e cinto de segurança do automóvel. Neste caso, a criança ficará presa pelo cinto do automóvel. O assento de segurança faz com que o cinto de segurança do carro passe nos locais corretos do corpo da criança: sobre os quadris e ao centro do ombro e peito.

A instalação do equipamento deverá ser realizada de forma correta para garantir a segurança e o conforto da criança. É importante ressaltar que o equipamento oferece uma segurança maior que o transporte nos braços de um adulto.

De acordo com as estatísticas, o uso adequado da cadeira para automóveis e do bebê conforto pode reduzir em até 71% o risco de lesão fatal ou permanente em acidentes de automóvel.

Você pôde observar que a mulher grávida pode dirigir, porém, não descuide, mantenha você e seu bebê em segurança e não esqueça de consultar seu médico.

Para mais informações sobre os cuidados com a gestação, consulte sempre nosso blog!

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.