Aleitamento Materno

Aleitamento Materno

A futura mamãe deve escolher e conhecer seu pediatra antes do parto. Recorra a ele e ao seu médico em momentos de dúvida e surpresas especialmente em relação à amamentação.

A recomendação da Organização Mundial da Saúde é que o bebê seja alimentado exclusivamente com o leite materno até o 6 mês de vida, sem oferecer água, chás ou qualquer outro alimento neste período. Já a partir das primeiras mamadas, o organismo materno produz o colostro que é um líquido viscoso de fácil digestão, rico em imunoglobulinas. Dentro de aproximadamente 3 dias após o parto, o leite materno propriamente dito passa a ser produzido e transmitirá ao bebê todos os nutrientes e anticorpos maternos, prevenindo-o contra infecções.

A produção do leite depende da sucção do bebê. Por isso, quanto mais o bebê suga, maior é o volume de leite materno produzido. Sendo assim, a amamentação deve ser praticada em livre demanda, ou seja, a mãe oferece o seio para o bebê sempre que o bebê sentir fome ou necessidade de sucção, sem controlar duração e intervalos no relógio. Apenas nas primeiras semanas recomenda-se que o intervalo das mamadas não ultrapasse 4h para evitar quadros de hipoglicemia no bebê.

A mamada termina quando o bebê solta o seio. Posicione-o levemente inclinado por alguns minutos, aguardando que o bebê elimine através do arroto qualquer ar que tenha engolido durante a mamada. Se o bebê estiver mamando com a pega correta é comum que ele não engula ar e, portanto, não arrote. Ao deitar o bebê no berço, posicione-o de barriga para cima.

É importante lembrar que não existe leite fraco. Se o bebê não ganha peso pode ser que as mamadas não estejam sendo eficientes, provavelmente devido à pega inadequada. O sinal mais claro de que isso possa estar acontecendo é a presença de fissuras mamilares e dores ao amamentar. Com a pega correta é esperado que a amamentação seja indolor.

Para propiciar a pega correta a mãe deve estar sentada confortavelmente, segurando o bebê bem próximo ao corpo e apoiando-o bem com o antebraço. É importante que o bebê esteja bem de frente para o seio e a posição “barriga com barriga” facilita essa situação. Em seguida, a mãe segura o seio com a mão contrária em “C” e leva o mamilo até o nariz do bebê, despertando nele o reflexo de busca e a abertura da boca. Feito isso, basta deslizar o mamilo para dentro da boca do bebê, tomando o cuidado de garantir que ele abocanhe a maior parte da aréola do seio materno.

Amamentação não se resume à alimentação. É um vínculo muito forte e benéfico tanto para a mãe quanto para o bebê. Além dos inúmeros benefícios nutricionais e psicológicos, irá ajudar rapidamente as funções fisiológicas da mãe e fazer com que seu corpo volte rapidamente à forma.

“A AMAMENTAÇÃO É MUITO IMPORTANTE PARA O BEBÊ. BUSQUE TODO O APOIO E INFORMAÇÃO QUE PRECISA PARA CONSEGUIR AMAMENTÁ-LO”

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.