Endometriose

Endometriose

Em algumas situações, este tecido volta pelas trompas, alcança a cavidade pélvica e abdominal, gerando assim a endometriose. Pode atacar também os ovários, as trompas, entre outros órgãos abdominais. As células do endométrio vão funcionar de forma semelhante as que estão revestindo o útero, ou seja, vão menstruar também. Essa menstruação no lugar incorreto é responsável pelos sintomas da endometriose.

As causas da endometriose ainda não são bem esclarecidas. Uma das possíveis explicações é a teoria imunológica onde as células que voltam através das trompas caem na pelve e deveriam ser reconhecidas como não própria para o local. Depois desta identificação, este mesmo sistema teria o dever de destruir estas células. Pode ocorrer, que em algumas mulheres que desenvolvem a doença, haja uma falha nos mecanismos de defesa e permitem que as células regurgitadas se implantem em locais não adequados e dêem início a doença.
Outra hipótese diz que o endométrio tópico possuiria algumas alterações que facilitariam que estas células, ao atingirem a cavidade pélvica, se transformem em endometriose. Há trabalhos investigando o papel de alguns poluentes ambientais conhecido como dioxina, no aparecimento da endometriose. A dioxina é um poluente universal derivado da combustão de plásticos, borrachas, fabricação de produtos químicos, solventes, dentre outras fontes.

As alterações genéticas, chamada de polimorfismo, fariam com que a dioxina não fosse corretamente eliminada do corpo e consequentemente, ela atuaria no organismo levando à endometriose.

Apesar de todos os estudos realizados na última década, a endometriose ainda permanece obscura em relação ao seu aparecimento, ao diagnóstico e as formas de tratamento.

Acredita-se que mulheres que ainda não tiveram filhos, principalmente acima dos 25 anos, o estilo de vida da mulher moderna (estresse e ansiedade), são alguns dos fatores que encontramos em mulheres mais suscetíveis à endometriose. Diversos marcadores genéticos vêm sendo estudados para indicarmos quais as mulheres estão mais sujeitas a adquiri-lá.

Esta doença acomete em sua maior parte mulheres entre 25 e 35 anos de idade e seus principais sintomas são: cólicas menstruais, dores durante a relação sexual, infertilidade, presença de cistos de ovário, dor ao evacuar, fortes dores abdominais, pequenos sangramentos inter-ciclos e dores pré-menstruais.

O diagnóstico é realizado através de uma boa avaliação médica, de exames laboratoriais (CA-125), ultra-sonografia, tomografia e ressonância magnética. O tratamento da endometriose está ligado aos sintomas e o grau da mesma. Podemos utilizar tratamentos hormonais até tratamento cirúrgico (vídeolaparoscopia). Este tratamento sempre deverá ser indicado pelo especialista em endometriose.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.