Orientação Sexual

Orientação Sexual

Na adolescência observa-se um grande número de gestações não planejadas e elevada incidência de infecções sexualmente transmissíveis, com consequente incremento da probabilidade de ocorrência futura de câncer de colo uterino, em pacientes cada vez mais jovens.

Nossa orientação às pacientes que já tenham atividade sexual ou estejam prestes a iniciá-la enfatiza as responsabilidades advindas desta decisão e orientamos sobre anticoncepção e prevenção das doenças sexualmente transmissíveis. Durante a consulta, decidimos pela contracepção, se considerarem esta a melhor opção para a saúde da jovem. Observa-se que muitos pais e até os profissionais temem que a disponibilização de métodos anticoncepcionais possa incentivar a sexualidade na adolescência, precocemente. Constata-se, ainda, que a preocupação das mães com a gravidez parece ser maior do que em relação às DST, já que os contraceptivos hormonais são mais utilizados do que os preservativos.

É necessário insistir com as jovens que, além de contraceptivos, mantenham a prática do sexo seguro, uma vez que a população apresenta alto risco para DST.

A consulta ginecológica na adolescência é de fundamental importância para a garantia da saúde sexual e reprodutiva e para a prevenção de agravos como a gravidez não planejada, o abuso sexual, as doenças sexualmente transmissíveis e a AIDS. Atender adolescentes com qualidade exige respeito às especificidades desta faixa etária de grande crescimento e desenvolvimento, durante a qual a maioria inicia a atividade sexual genital. Por isto, efetuamos a orientação sexual como uma mudança de conduta na atenção a este público, de modo que ocorra sempre um trabalho preventivo e educativo, e não apenas curativo.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.